HomeJundiaíVendas de imóveis residenciais novos crescem em Jundiaí

Vendas de imóveis residenciais novos crescem em Jundiaí

O mercado imobiliário de Jundiaí está em ritmo de recuperação. No período entre dezembro de 2017 e novembro de 2018, foram lançadas 750 unidades na cidade, volume 53% maior do que no período anterior, quando os lançamentos totalizaram 489 residências. No mesmo intervalo de tempo, 1.080 imóveis novos foram comercializados no município. O resultado representa um aumento de 29% em relação às 837 residências vendidas e contabilizadas no levantamento anterior.

Considerando-se o período de estudo, de dezembro de 2015 a novembro de 2018, os lançamentos totalizaram 2.606 imóveis residenciais, dos quais 2.094 unidades foram comercializadas – ou seja, 80,4% das residências ofertadas ao longo dos 36 meses pesquisados.

Os dados fazem parte do Estudo Secovi do Mercado Imobiliário, que acompanha o desempenho de lançamentos e vendas de imóveis residenciais novos na cidade. O levantamento é desenvolvido por Robert Michel Zarif, em parceria com o Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação.

A cidade de Jundiaí registrou a oferta de 512 unidades disponíveis para venda em novembro de 2018. Este total é formado por imóveis na planta, em construção e prontos (estoque) lançados nos últimos 36 meses (dezembro de 2015 a novembro de 2018).

Houve uma redução de 57% em relação ao mês de novembro de 2017, quando foram registradas 1.201 unidades não comercializadas no município. Em relação ao VGV (Valor Global de Vendas), o montante movimentado entre dezembro de 2017 e novembro de 2018 totalizou R$ 305,3 milhões, volume 11% superior ao registrado no período anterior, quando atingiu a marca de R$ 275,9 milhões.

Os imóveis de 2 dormitórios destacaram-se na maioria dos indicadores, no período de dezembro de 2017 a novembro de 2018, registrando a maior quantidade de vendas (451 unidades), de lançamentos (382 unidades), e de oferta final (226 unidades). O maior VGV (R$ 128,3 milhões) ficou com os imóveis de 3 quartos. Já o melhor desempenho em termos de VSO (Vendas Sobre Oferta) foi verificado na tipologia de 2 dormitórios econômicos, que atingiu 78,3%, resultado da divisão das 285 unidades vendidas em relação aos 364 imóveis em oferta.

Os imóveis com preços entre R$ 230 mil e R$ 500 mil destacaram-se em quase todos os indicadores, no período de dezembro de 2017 a novembro de 2018: registraram a maior quantidade de vendas (773 unidades), de lançamentos (632 unidades), oferta final (428 unidades) e o melhor VGV (R$ 242,4 milhões).

O melhor desempenho de comercialização, com VSO de 79,3%, ficou com os imóveis na faixa de até R$ 230 mil. Já em relação à área útil, os imóveis com metragem entre 46 m² e 65 m² tiveram relevância, no mesmo intervalo pesquisado, em termos de vendas (736 unidades), lançamentos (500 unidades), oferta final (305 unidades) e VGV (R$ 176,9 milhões).

 

Leia também: Governo e indústria planejam reduzir açúcar em 5 grupos de alimentos

 

Em relação aos valores, os preços médios totais no período foram de R$ 178.000,00 (1 dormitório econômico), R$ 203.585,00 (2 dormitórios econômicos), R$ 256.473,00 (2 dormitórios), R$ 404.348 (3 dormitórios). Ao analisar o preço médio por metro quadrado, os valores ficaram em R$ 4.496,00 (2 dormitórios) e R$ 4.864,00 (3 dormitórios).

Os loteamentos também estão contemplados no estudo, a partir do levantamento do número de projetos aprovados no Graprohab (Grupo de Análise e Aprovação de Projetos Habitacionais do Estado de São Paulo) nos últimos anos. Nos primeiros dez meses de 2018, foram protocolados 416 projetos de loteamentos no Estado; 529 em 2017; e 644 em 2016. Jundiaí teve três projetos aprovados no Graprohab entre janeiro e outubro de 2018, totalizando 580 lotes previstos. Em 2017, não houve novas autorizações no município. 




Comentários
})(jQuery)