HomeGeralPolíticaCarreira de Moro é misto de heroismo e polêmica

Carreira de Moro é misto de heroismo e polêmica

Sérgio Moro ganhou notoriedade ao conduzir a Operação Lava Jato em 2014 – que ainda continua investigando os desdobramentos dos desvios de dinheiro da Petrobras. E quem é Sérgio Moro?

Formado pela Universidade de Maringá (estadual), no Paraná, em 1995, Moro tornou-se juiz federal no ano seguinte, aos 24 anos. É casado com Rosângela Wolff e dois dois filhos. Seu primeiro grande caso durou de 2003 a 2007, quando investigou o Banestado e descobriu desvio de R$ 30 bilhões.

Moro também participou da equipe que investigou o Mensalão a pedido da ministra do STF Rosa Weber, em 2012. Dois anos depois iniciou a Operação Lava Jato, inspirada na Operação Mãos Limpas, feita pela Justiça italiana em combate à Máfia.

 Uma das polêmicas de Moro foi a condução coercitiva de Lula, em março de 2016, para depor na sala presidencial no Aeroporto de Congonhas em São Paulo. A decisão dividiu a classe jurídica brasileira que, em parte, criticava a ausência de recusa do interrogado, como determinava a lei. Em julho de 2018, o STF confirmou o texto da lei e proibiu que conduções coercitivas sejam tomadas sem um chamamento prévio. Moro justificou que a medida havia sido tomada por questões de segurança.

 

Leia também: Novo Dia agora faz parte da Associação Nacional de Jornais

 

Um dos momentos de maior tensão da Lava-Jato se deu quando Sérgio Moro determinou a prisão do ex-presidente Lula que recebeu a presença de apoiadores e militantes em frente à sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, ninho petista. Dias depois, o ex-presidente se entregou à PF que ameaçava invadir o prédio.

Neste ano, o habeas corpus do Tribunal Regional Federal (TRF-4) concedido a Lula pelo desembargador Rogério Favreto foi contestada por Moro. O juiz, que estava de férias do tribunal, chegou a pedir que a PF descumprisse a decisão judicial do juiz de segunda instância. Durante o dia, outras decisões foram tomadas até que a do desembargador presidente Thompson Flores, manteve o ex-presidente Lula preso.




Comentários
})(jQuery)