HomeGeralPolíticaPolarização entre Bolsonaro e Haddad leva PSDB a união do centro democrático

Polarização entre Bolsonaro e Haddad leva PSDB a união do centro democrático

Os candidatos em questão seriam Alckmin, Marina Silva (Rede), João Amoêdo (Novo), Alvaro Dias (Podemos) e Henrique Meirelles (MDB). Somados, os cinco postulantes teriam 24% das intenções de voto, índice acima de Haddad, mas ainda abaixo de Bolsonaro. Pestana diz que não se descarta incluir Ciro Gomes (PDT), em terceiro com 13%, “se ele não fizer questão de se excluir e se inviabilizar”.

A ideia é que o “facilitador”, uma espécie de fiador do diálogo, seja o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), liderança que mantém interlocução com os postulantes. “O Fernando Henrique tem moral ética e política e trânsito com todos e, por isso, ele poderia ser um facilitador. Não propor um formato, mas facilitar as pessoas a conversarem. Um coordenador da mesa de negociação”, explicou Pestana.

 

Leia também: Jundiaí vai ter workshop de panetone salgado

 

O secretário-geral do PSDB pondera que, apesar de Alckmin ser o candidato entre os citados que tem as maiores intenções de voto entre os citados, não significa, necessariamente, que uma eventual união teria de ser em torno dele. “Seria um gesto de arrogância do PSDB entrar na mesa de negociações com uma postura rígida e única. Não é assim que se conversa.”




Comentários
})(jQuery)