HomeArticulistasÀs vezes não é preço. É praça

Às vezes não é preço. É praça

Olá, pessoa! Não preciso recorrer a muitas palavras para descobrir seus conhecimentos sobre os famosos 4Ps do Marketing: Preço, Praça, Produto e Promoção.

Muitas vezes você tem o produto e acha que tem de fazer promoção dele. Aí baixa o preço em busca de resultado e o tal resultado não vem.

Quantas vezes, você, empreendedor, não fez a melhor oferta do mundo, parcelou em inúmeras vezes e o resultado foi pífio? Se te entregaram um cheque, ele ainda está na sua gaveta, fazendo você passar raiva toda vez que olha para ele, não é?

Se já passou por isso, que tal parar de colocar a culpa no produto e buscar um público qualificado para ele?

Hoje em dia, muitas pessoas sabem que precisam de algo, mas não querem pagar. Com isto, recorrem a tutoriais de internet, amostras grátis conseguidas nas mais variadas feiras; outros, na maior ‘caruda’, até te pedem dicas sobre como resolver determinada situação, mas, no fundo, você percebe que tais pessoas querem só o 0800. Querem tudo de graça e não estão dispostas a te oferecer um centavo em troca!

Desanimado, mas resiliente, você decide cobrar o preço que realmente seu produto vale. Diminui a oferta, apela para a escassez e, surpreso, vê que um público qualificado o comprou!

E sabe o que é melhor? Este comprador ainda faz indicações pontuais que aumentam a sua credibilidade no segmento.

 

Leia também: Cultura e SP Escola de Teatro oferecem curso gratuito de Dramaturgia

 

Como sempre digo, empreender é acordar desempregado todo dia e buscar alternativas. Mas saiba que derrubar o próprio preço e pagar caro para poder vender, não é negócio pra ninguém. Se quiser valorizar o que tem na mão, use este raciocínio: se for um produto, quanto eu gastei na linha de produção? Se for serviço, quanto eu investi em conhecimento para me aprimorar?

Lembre-se que, ao invés de baixar seu preço, procure subir o nível dos seus possíveis compradores. Outra dica é parar de ouvir besteiras de palestrantes que dizem que a culpa é sempre sua. Pode não ser, sabia?

É um caminho árduo, porém, como diz um ditado que circula por aí: ‘Seja reconhecido pelo seu trabalho e não pelo seu menor preço’. É isso.




Comentários
})(jQuery)