HomeArticulistasVenezuelanos enterram Lula

Venezuelanos enterram Lula

A ditadura ChávezMaduro, apoiada e elogiada por Dilma, Lula e militantes lulistas, é a ruína, o caos estampado na multidão de refugiados. Mais de um milhão e 700 mil venezuelanos já fugiram do país da miséria galopante e da maior inflação do mundo (um milhão por cento neste ano). O Brasil é o que menos recebeu perseguidos do socialismo bolivariano: cerca de 130 mil “hermanos de hambre”. O Equador foi invadido por mais de 500 mil; Peru e Colombia juntos receberam cerca de um milhão de venezuelanos.

O total de miseráveis refugiados vizinhos é maior que toda a Europa acolheu de africanos, iranianos, afegãos e sírios nos últimos quatro anos. Nossos vizinhos fogem da fome e da tortura imposta pelo governo bolivariano. Há escassez de alimentos, remédios e até de papel higiênico. Tem apagão todo dia, assim como porrada da polícia de Chávez-Maduro. O regime elogiado por Lula e militantes lulistas não é só de repressão: do ano passado até hoje, 75% dos venezuelanos ficaram 8,7 quilos mais magros (per capita). Venezuelanos morrem nas prisões ou por falta de comida ou remédio, segundo fontes internacionais de direitos humanos.

Eu não devia, mas vou dar uma dica preciosa pra vocês “cumpanherus”. Mortadelas uni-vos! neste momento em que o “führer” Lula está ainda tentando ser presidente desta republiqueta. Os venezuelanos famintos refugiados estão difamando o socialismo bolivariano e metendo o cacete no Maduro; esculhambam com Dilma e enterram Lula por onde passam. Falem pro mestre – o crush, como diz Márcia Tiburi – que está na cadeia em Curitiba, que a invasão (ou refúgio) dos “cumpanherus” venezuelanos tem de acabar. Esqueçam o internacionalismo proletário e a Ursal (União das Repúblicas Socialistas da América Latina).

 

Leia também: Jantar do Comércio vai movimentar Jundiaí e Região

 

A coisa tá feia. Venezuelanos com fome falam mal mesmo: a troco de um prato de comida, contam como está a fossa criada por Chávez-Maduro com apoio do Lula. Lembrem ao seu chefe para que exerça o “centralismo democrático”, mandando toda a militância parar com esta porraloquice de ficar gritando “bom dia, boa noite, lula livre…”. A palavra de ordem é “Tem de expulsar os difamadores venezuelanos antes que eles afundem de vez a campanha presidencial do ‘pai dos pobres”. Agindo assim, estarão ajudando seu líder barbudo, aquele que não é dono de nada, cuja fortuna foi deixada pela viúva e multiplicada pelos filhotes.




Comentários
})(jQuery)