HomeGeralRMC implantará projeto regional de regulação de vagas e cirurgias

RMC implantará projeto regional de regulação de vagas e cirurgias

A divulgação do Projeto Cross Regional foi feita na reunião do Conselho de Desenvolvimento da RMC (Região Metropolitana de Campinas), ocorrida na última terça-feira (21). A implantação da regulação das vagas e cirurgias é fruto do encontro com o secretário estadual de Saúde, Marco Antônio Zago, realizado no início do mês. Durante a reunião também foi feita a assinatura da carta-compromisso do Programa Cidades Sustentáveis com os 20 municípios.

A exposição dos resultados do encontro com o secretário estadual foi feita pela diretora da DRS 7 (Diretoria Regional de Saúde), Mirella Povinelli. Segundo ela, o projeto, que já está pronto, será operado diretamente da sede da diretoria regional e será implantado em breve na região, atendendo às 20 cidades. “O projeto é muito bom. Será especifico para atender aos pacientes dos municípios que precisam de internação em unidades hospitalares”, explicou a vice-prefeita, Laís Helena, que esteve presente na reunião.

Conforme Mirella, atualmente essas demandas passam obrigatoriamente pela CROSS (Central de Regulação de Ofertas e Serviços de Saúde) de São Paulo e que atende ao Estado inteiro. Também será encaminhado ao secretário estadual o mapeamento dos medicamentos de alto custo em falta na região, proveniente de repasse do Estado. “O secretário vai priorizar a nossa região na questão dos medicamentos e insumos”, afirmou Mirella.

Durante a reunião também foi assinada o protocolo de intenções do Programa Cidades Sustentáveis. O programa visa ao comprometimento das administrações municipais com informações de 95 indicadores sobre objetivos de desenvolvimento sustentável.  A RMC é a primeira região a aderir do país”, salientou a vice-prefeita, que esteve acompanhada dos secretários da Saúde, Nilton Tordin, e da Fazenda, Maria Luísa Denadai.

 

Leia também: Sincomercio sedia palestra sobre eSocial para líderes e gestores

 

Após a reunião do Conselho de Desenvolvimento, teve ainda a audiência pública do orçamento do Estado de São Paulo, a LOA 2019, apresentada pelo economista e assessor técnico da Agemcamp (Agência Metropolitana de Campinas), Mauricio Hoffmann.

Na explanação foi solicitado aumento de verba do PAB (Piso de Atenção Básica) para custeio geral da saúde, passando de R$ 3,00 para R$ 9,00 per capita. Também foi pedido a implantação do Trem InterCidades, projeto estratégico para logística, que será viabilizado através de uma Parceria Público-Privada, ligando a RMC ao Vale do Paraíba, Baixada Santista e a Grande SP.




Comentários
})(jQuery)