HomeGeralOutra infestação em Jundiaí: agora são as capivaras

Outra infestação em Jundiaí: agora são as capivaras

A imagem que as capivaras transmitem é de simpatia. Fofinhas até. Chegam a pesar 100 quilos e formam a família dos maiores roedores. Tão simpáticas que têm até um dia – 14 de setembro, comemorado internacionalmente. E outro dia – o dia nacional da capivara, em 7 de setembro. E são elas, muitas vezes, portadoras do carrapato que transmite a febre maculosa.

Quem mora perto de parques públicos que têm água, como o Eloy Chaves, tem notado que ultimamente o número desses roedores aumentou. E muito. Confiantes, as capivaras estão invadindo espaços. No Parque Botânico do Eloy Chaves, por exemplo, o parque infantil foi cercado. Os demais espaços são muitas vezes das capivaras.

No Tulipas a cena se repete, assim como em alguns trechos da represa abrigada no Parque da Cidade. E até no Rio Jundiaí (outrora poluído) as capivaras estão aparecendo. Mais de uma vez foram capivaras foram vistas andando pela avenida Luiz Latorre, altura da Vila Hortolândia, nas margens do rio.

Até segunda-feira passada (30), o Estado de São Paulo havia registrado 14 mortes neste ano por causa de febre maculosa. No ano passado foram 32 mortes, e em 2016, 64. Há ainda neste ano, 29 casos de pessoas que se recuperaram.

 

Leia também: Mágico de Jundiaí é o 4º melhor do mundo

 

Mas a presença das capivaras não deve ser motivo de tanta preocupação. “Dentre as possíveis doenças, a febre maculosa não tem sido observada em Jundiaí”, explica o médico-veterinário Carlos Ozahata, responsável pela Divisão de Zoonoses. E ele explica melhor ainda:

“Quem pode transmitir a febre ao carrapato é a capivara jovem. Capivaras adultas já criaram defesa, enquanto as mais novas levam o tempo médio de um mês para criarem resistência em seus corpos”.

A única forma de controle da população desses animais seria a esterilização. Matar capivaras nem pensar – é crime ambiental e dá cadeia. E há outro porém: boa parte dos parques públicos de Jundiaí foram instalados em áreas com recursos hídricos (lagos e córregos), o habitat das capivaras. Resumindo: quem invadiu foi o humano, e não a capivara.

A capivara

  • É considerado o maior roedor, chegando a pesar 100 quilos
  • Capivaras vivem em grupos, e cada colônia pode ter até 25 exemplares, liderada por um macho dominante
  • São mais ativas ao anoitecer ou amanhecer
  • A gestação dura 120 dias e normalmente nascem três filhotes
  • Capivaras vivem de seis a doze anos



Comentários
})(jQuery)