HomeCidadesCidades prosseguem com vacinação contra poliomielite e sarampo

Cidades prosseguem com vacinação contra poliomielite e sarampo

Indaiatuba segue com as ações de vacinação contra poliomielite e sarampo para atingir a cobertura vacinal de 95% das crianças entre 1 ano e menores de 5 anos. De acordo com as estimativas, Indaiatuba conta com 11.050 crianças dentro da faixa de idade indicada para receber a vacina.  A campanha nacional segue até dia 31 de agosto em todas as Unidades de Saúde da cidade.

Haverá uma equipe de vacinação nas Feiras Livres noturnas, o horário de atendimento será das 17h às 21h. As Feiras Livres acontecem em frente ao Barco as quartas-feiras e em frente ao Centro de Convenções Aydil Pinese Bonachella as sextas-feiras.

As equipes de saúde também irão vacinar as crianças da educação infantil nas creches municipais, conveniadas e particulares do município até o dia 17 de agosto. 

Em Campo Limpo Paulista a campanha contra Sarampo e Poliomielite terá seu novo Dia D neste sábado (18), das 8h às 17h, nas Unidades Básicas de Saúde da cidade (exceto Vila Marieta e Jardim Europa). Até o momento já foram aplicadas 1.373 doses contra a pólio e outras 1.358 contra sarampo, cerca de 32% da meta no município.

A meta é vacinar até o final da Campanha, que se encerra no dia 31 de agosto,  4.261 crianças de 1 a 4 anos, 11 meses e 29 dias.  As crianças também podem ser levadas às Unidades Básicas de segunda a sexta-feira, sempre das 7h30 às 12h e das 13h às 15h30. 

Em Jundiaí a vacinação também acontece no sábado (18) em todas as UBSs, exceto os Postos de Saúde da Família da Vila Ana e Vila Esperança, das 8h às 17h. 

 

Leia também: Saques do PIS/Pasep é liberado para cotistas

 

O sarampo é uma doença que pode levar à morte. Os sintomas são tosse, febre, irritação ocular, corrimento no nariz, manchas vermelhas na pele, pode causar infecção nos ouvidos, pneumonia e convulsões. A transmissão é pelo ar, por meio de tosse, espirro, fala ou respiração e a única forma de prevenção é a vacina.

Já a poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é provocada por um vírus que afeta o sistema nervoso, que pode levar à paralisia irreversível dos membros. Por isso, a orientação é que os pais não deixem de vacinar as crianças. 

A vacina é contraindicada se a criança estiver com gripe muito forte e febre alta; para crianças com imunodeficiência congênita ou adquirida; neoplasia maligna; que estão em tratamento com uso de corticoides em doses elevadas ou quimioterapia e radioterapia.




Comentários
})(jQuery)