HomeJundiaíYasui assume 49º BPM/I e defende integração entre forças de segurança

Yasui assume 49º BPM/I e defende integração entre forças de segurança

Desde 7 de junho o 49º Batalhão da Polícia Militar do Interior (BPM/I) tem novo comandante. A partir de agora, o tenente coronel da PM Eduardo Yasui responde pela segurança de parte de Jundiaí, Várzea Paulista, Campo Limpo Paulista, Jarinu, Itatiba, Louveira e Morungaba, correspondendo a 600 mil pessoas.

Apesar da responsabilidade, o comandante parece tranquilo. “A região de Jundiaí possui uma particularidade que faz a diferença no nosso trabalho: todas as forças de segurança atuam em conjunto. Quem ganha com isso são os municípios e a população”, afirma.

A bagagem adquirida ao longo dos anos e das passagens pela região, permitiu a Yasui apontar os crimes que preocupam pela sua maior incidência. “São os chamados crimes contra a vida, homicídio e latrocínio (roubo seguido de morte). Em seguida, temos os roubos de residências e veículos e assaltos”, enumera.

Yasui lembra que a região também é conhecida por registrar alto índice de explosões a caixas eletrônicos. “É uma modalidade de crime que espalha o sentimento de insegurança à população. É uma ação planejada que dificilmente envolve menos de 20 indivíduos, todos com armas e explosivos pesados. Daí a dificuldade de combater este crime. De qualquer forma, trabalhamos para inibir a ação dos bandidos”, continua.

Considerado um problema mundial, o comandante aposta na Educação como única arma capaz de combater e vencer a guerra contra as drogas. “A PM tem dois programas de êxito dedicados a pré (Proerd) e adolescentes (Jovem Brasil em Ação) que mudam o comportamento dos participantes na escola, na família e no círculo de amizade, onde tudo acontece”, afirma.

Se a prevenção está na Educação, Eduardo Yassui aponta a causa para a proliferação do uso de drogas no social: “O exemplo mais clássico pode ser visto entre moradores de rua. O vício levou aquele indivíduo a cometer pequenos furtos, a roubar e, em muitos casos até matar.”

De volta à região de Jundiaí, o comandante admite algumas limitações de trabalho, mas é otimista quando se refere às perspectivas. “A região tem potencial para diminuir o índice de criminalidade que para a cidade de Jundiaí, por exemplo, já é considerado baixo. O que temos é uma sensação de insegurança. Mas há muito para melhorar”, finaliza.  




Comentários
})(jQuery)