HomeArticulistasUma roupa e mil palavras

Olá, pessoa! Neste artigo, vou falar sobre um ponto que incomoda muita gente: o modo de se vestir. Muitas vezes, a vontade de parecermos descolados, ‘na moda’, jovens (a tal síndrome de Peter Pan) nos leva a alguns tropeços.

Preocupadas com estas questões, muita gente recorre à revistas de moda, espelhamento em celebridades, tutoriais milagrosos de internet, à suspeita sinceridade dos vendedores nas lojas. Outros procuram serviços especializados de um personal stylist que deveria adequar as pessoas à roupa e vice-versa. Só que nem sempre isso acontece.

Volta e meia vemos, tanto nas calçadas dos centros urbanos quanto nos mais badalados ambientes, gente que segue tais indicações e se sentem deslocadas no modo de se vestir. Sabe quando aquela roupa não está de acordo com a ocasião e com a pessoa? Pois é.

É bom estar atento: nem sempre aquele terno, vestido, colar, pulseira, relógio, calçado que são vistos em quem você admira, vão ser adequados à sua personalidade.

 

Leia também: Caps AD de Franco da Rocha atendeu 380 pessoas em um ano

 

Nesta hora, é importante utilizar um espelho chamado bom senso e, para acioná-lo, basta fazer uma pergunta bem simples:

– Ficou bem nele/nela. Será que ficará bem em mim?

Segue uma dica bem ilustrativa das discrepâncias:

Antes de colocar uma camiseta da banda Charlie Brown Jr, uma bermuda cor de laranja, meias pretas e tênis fluorescente, observe se tudo isso combina com o que você realmente é.

Ah! E cuidado com a síndrome de Peter Pan. Ela costuma pregar peças tanto quanto o personal stylist descolado que você arrumou. É isso.




Comentários
})(jQuery)