HomeGeralAntiga estação da Paulista na Ponte já era. Fogo o motivo

Antiga estação da Paulista na Ponte já era. Fogo o motivo

Em 1872, quando se fundou a Companhia Paulista de Estradas de Ferro, os trens passaram a usar a estação da Praça Mauá, construída pelos ingleses da São Paulo Railway (depois Santos a Jundiaí). Mas em 1898, os barões do café e o governo da então Província de São Paulo, construíram a Estação Central de Jundiahy da Companhia Paulista.

Foi no bairro da Ponte de São João, perto de onde seria construído, no século seguinte, o viaduto São João Batista. Na segunda-feira passada (9), quase tudo veio abaixo. Um incêndio, que tem tudo para ser criminoso, consumiu parte da estação, considerada histórica. O que o fogo não consumiu, o rescaldo dos Bombeiros fez o inevitável.

Os alertas sobre o abandono são antigos. Até um “zelador voluntário” passou a morar lá, mas foi embora há algum tempo. Moradores de rua chegaram a ocupar o prédio, assim como drogados e prostitutas.

O prédio – ou o que dele sobrou – não faz parte do Complexo Fepasa (Ferrovias Paulistas SA, sucessora da Companhia Paulista). Pertence ao DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre) do Ministério dos Transportes, que deveria cuidar das estradas e outros meios de transporte, mas não cuida de nada.

A estação

1872 – A linha-tronco da Cia. Paulista saía da Estação da SPR (ou estação dos ingleses), em direção a Campinas. Parava nas estações do Horto, Corrupira, Louveira, Vinhedo, Valinhos, Samambaia e Campinas

1898 – A partir desse ano, a Estação Central de Jundiahy passou a ser usada apenas por poucos passageiros

1907 – A Cia. Paulista desativou a estação e concentrou os embarques na estação da Vila Arens, da SPR

1950 – A Cia Paulista passou a usar o prédio para serviços burocráticos, como a emissão das carteiras quilométricas.




Comentários
})(jQuery)