HomeArticulistasAnselmo BrombalVoltamos às cavernas

O homem das cavernas era o tipo bruto, estúpido ao extremo. Fazia prevalecer a força. Impunha sua vontade. Não pensava, não usava a razão. Escolhia parceiras e as subjugava, sem levar em conta a vontade alheia. A evolução modificou esse tipo de comportamento aos poucos, até que chegamos ao que podemos chamar de civilização.

Será? Ou estamos regredindo? Pelo jeito já voltamos às cavernas. Somente os acidentes de trânsito no Brasil deram prejuízo de 200 bilhões de reais no ano passado. Materialmente falando. Mas produziram milhares de mortes e de pessoas inválidas. Mais do que as guerras. E todos os anos isso aumento.

O comportamento humano atual é selvagem. Mata-se por pouco, ou por nada, a tiros ou facadas. O trânsito é um assassino e tanto. Motociclistas morrem às pencas todos os dias, vítimas da própria imprudência. Ou selvageria.

Basta ver o comportamento de motoboys que entregam comida pronta em fins de semana. Beira o absurdo, a irracionalidade. Parece haver um código de trânsito próprio para motoboys. Um código que prega que sinal vermelho é enfeite, que limite de velocidade é para otários, que andar sobre calçadas ou na contramão é parte da rotina.

E na esteira dessa selvageria, surgem outras perguntas. O que leva um sujeito, aparentemente da raça humana, arrancar o miolo do escapamento de uma motocicleta pelo prazer de fazer barulho? O que leva um sujeiro dirigir ouvindo música (?) em volume absurdo? O que leva um sujeito a rebaixar a suspensão de seu carro para depois praticamente se arrastar pelas ruas?

Provavelmente a resposta seja o excesso de titica de galinha onde deveria haver um cérebro. Pior de tudo, que esse tipo de comportamento é sujeito à punição. Legalmente. Mas nada acontece, e sem ninguém coibir, o incentivo para que outros animais adotem o mesmo comportamento é maior.

Alterar as características originais de um veículo (motocicleta ou carro) sujeita o mesmo à apreensão. Só seria liberado após o dono regularizar e pagar as multas. E alguém faz isso? Há algum carro ou moto apreendido por essa causa? Há alguém punido, multado ou advertido por causa disso? Certamente não.

Exemplos de acidentados, estatísticas sobre mortes e ferimentos são mostrados diariamente. Descontados os excessos de sensacionalimo dos programas mundo-cão de nossa TV, não passa um dia sem que sejam mostradas cenas de imprudência. Ou cenas de fatalidade. E nada abala, nada conscientiza. Talvez por falta de cérebro mesmo.

E incoerência das incoerências, louvamos a tecnologia. Aplaudimos os avanços da indústria, dos laboratórios e dos gênios dos computadores. Comemoramos seguidos recordes de safra, de produção industrial, de vendas no comércio. Mas esquecemos da involução. Voltamos a morar nas cavernas. E que cada um use seu tacape.




Comentários
})(jQuery)