HomeGeralItatiba inaugura monumento em homenagem a nova Cidade Irmã

Itatiba inaugura monumento em homenagem a nova Cidade Irmã

A inauguração do Monumento “Guardiões de Itatiba”, erguido na rotatória em frente ao Parque da Juventude, ocorreu na manhã do último domingo (8). A comemoração uniu definitivamente a cidade brasileira Itatiba e a italiana Oratino, que este ano se tornaram Cidades Irmãs.

O “gemellaggio” entre as duas cidades, se deu pelo grande número de cidadãos oratinos que imigraram para Itatiba e também pelo fato dos municípios terem a pedra como ponto em comum. Enquanto Itatiba em Tupi-guarani significa “muita pedra”, Oratino, localizada na província de Campobasso, região de Molise, tem a tradição secular de utilizar o mineral como matéria no desenvolvimento da arte.

Além das homenagens, discursos e troca de presentes, o evento contou com apresentações especiais da centenária Banda Santa Cecília e do Coral Filarmônico do Itatiba Esporte Clube.

A ideia nasceu em uma das visitas do artista plástico Dante Gentile Lorusso à Itatiba, quando descobriu que, assim como Oratino, a cidade tem uma forte ligação com a pedra.

Composto por quatro cabeças talhadas em pedras de Oratino e colocadas estrategicamente nos quatro pontos cardeais, simbolizando as diferentes idades do homem: adolescente, jovem, maduro e idoso, o monumento ‘Guardiões de Itatiba’ remonta há séculos antes de Cristo, quando muitas cidades italianas já possuíam arte semelhante em suas praças como forma de proteção contra os maus agouros.

A cidade irmã é um acordo selado entre municípios que tem como objetivo a implementação de relações que permitam o intercâmbio de experiências e conhecimento econômico, social e cultural, por meio de laços de cooperação.

Desde 2009 Itatiba já possui o “gemellaggio” com Toro, na Itália, também por influência do itatibense André Bartholomeu. Agora, Oratino se junta ao grupo de cinco Cidades Irmãs de Itatiba. Além de Toro e Oratino, ainda existe a cidade de Tosa no Japão e dois municípios brasileiros: Monte Sião e São Sebastião.




Comentários
})(jQuery)