HomeArticulistasCarlos CunhaAbaixo o Politicamente Correto?

Abaixo o Politicamente Correto?

Olá, pessoa! O assunto que vamos abordar neste artigo diz respeito ao tão polêmico politicamente correto. Vemos este termo em apresentações corporativas, diálogos políticos, propagandas, contextos sociais e em tudo o mais que se possa imaginar. Mas, analisando friamente: será que o politicamente correto traduz, em todos os sentidos, o que as pessoas realmente estão querendo dizer?

Quantas e quantas vezes deixamos de falar o que é necessário para florearmos com expressões que não dizem nada? Quantas vezes voltamos para nossas casas com a sensação de que devíamos ter sido diretos ao relatar algum problema?

Partindo disso, vamos fazer algumas reflexões que podem caber nesta mensagem apenas no sentido de alertar se estamos nos comunicando integralmente ou só nos desviando de um possível mal-entendido. O politicamente correto deixou as pessoas sensíveis; porém, não educadas e
elegantes.

Hoje em dia, pra não ofender, até pra se fazer uma crítica severa, expor um ponto de vista, são utilizadas expressões como: “me desculpa a sinceridade”, “meu caro amigo”, “nobre excelência”(para gente que de nobreza e excelência não tem nada), “não me leve a mal”.

Cheguei, há algum tempo, observar o uso de ‘preclaro’, um adjetivo arcaico que achava que tinha saído do dicionário. Não obstante estes termos polidos (hein?) ‘a lenha desceu’ e amizades foram prejudicadas. Então, qual a razão de tentar ser elegante (sem ser) e de tentar parecer educado (sem parecer e ser)?

Ter objetividade na comunicação é o que há. Pensar o que se pensa e se expressar, é o que há. Sem mimimi. Sem esta linguagem que, ao invés de esclarecer, deixa quem fala, com jeitão de pateta. Abaixo o politicamente correto e acima a sinceridade sem máscaras.

É isso.




Comentários
})(jQuery)