HomeJundiaíSaúde confirma primeiro caso de febre amarela em humano

Saúde confirma primeiro caso de febre amarela em humano

Único a não se vacinar da residência, o homem de 55 anos, morador no bairro Ivoturucaia, teve a confirmação de infecção por febre amarela pelo Instituto Adolpho Lutz nesta segunda-feira (18). Ainda internado, em quadro estável, a confirmação reforça a importância da imunização contra a doença, já que o vírus permanece em circulação na zona rural da cidade. Jundiaí tem 92% da população vacinada contra a febre amarela e as doses continuam disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

O paciente está internado desde o dia 29 de novembro em um hospital particular da cidade, onde permanece em tratamento. Seu quadro é estável e inspira cuidados. De acordo com o gestor interino da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), Tiago Texera, a não vacinação pelo munícipe foi opção própria. “O Ivoturucaia, assim como o restante da cidade, contou com amplo acesso às doses, com oferta em horário ampliado para a imunização na UBS do bairro além da disponibilização em Posto Avançado no Parque da Uva e em outros pontos da cidade. O agente comunitário de saúde circulou por toda a área para divulgar a importância da imunização. Da família, somente ele que não se vacinou e ficou doente. Essa é a prova de que a vacina é eficiente e a única forma de prevenção”, ressalta o gestor.

O macaco positivo mais próximo da residência do homem foi registrado há três quilômetros, na divisa com a cidade de Jarinu. Segundo a diretora de Vigilância em Saúde, da UGPS, Fauzia Abou Abbas Raiza, as pessoas que ainda não se vacinaram estão se expondo a riscos desnecessários. “A dose está disponível em todas as nossas unidades de saúde gratuitamente. É importante que todos os aptos, se imunizem, pois o vírus permanece em circulação nos fragmentos de mata. Uma pessoa não imunizada que contraia febra amarela, pode se transformar em vetor de transmissão para o mosquito Aedes aegypti, transformando a doença de febre amarela silvestre, para urbana”, explica. A meta é atingir 95% da população.




Comentários
})(jQuery)