HomeArticulistasCarlos CunhaEfeito Tiririca e os analistas de manchetes

Efeito Tiririca e os analistas de manchetes

Olá, pessoa!

Analista de manchetes.

Há tempos venho experimentando fazer um arremedo de ensaio sobre este tema, porém, sempre desvio do assunto e acho que é meio chatice falar sobre isso.

Os analistas de manchete estão em todo lugar, principalmente se este lugar for a chamada rede social.

A cada manchete, surge um monte de comentários, muitos maldosos, tentando justificar e imaginar sobre o que não aconteceu.

É só você clicar na notícia e ver que ela foi mal interpretada.
Mas, na última semana, algo me chamou a atenção: ao analisar manchetes, até profissionais da comunicação caíram na ‘pegadinha do Tiririca’: aquele mesmo, que muita gente duvida da capacidade e faz memes para espalhar por aí.

Pois é: o então deputado subiu à tribuna do parlamento e fez um raro discurso dando conta de que esta seria sua última candidatura e que abandonaria a política.

Por uma interpretação errônea e falta do que colocar como manchete, muitos jornais noticiaram o que seria um simples anúncio como sendo uma renúncia.

Bastou para que milhares de pessoas confundissem o termo anunciar com renunciar e replicassem o grande acontecimento nas redes. Não chegou ‘quebrar a internet’, mas a repercussão foi grande.

Muitos comentários davam conta de que ele seria o mais honesto de todos e que estava no caminho certo.

Não queremos aqui colocar um juízo de valor ou falar sobre a atitude do deputado, mas sim, deixar um recado para que, antes de se fazer qualquer comentário sobre uma manchete qualquer, que se leia a matéria por completo e tente, ao menos, compreendê-la.

Caso contrário, engrossaremos cada vez mais o enorme exército dos ‘analistas de manchete’ que, sem embasamento algum, publicam sobre coisas que desconhecem.

É isso.

Por Carlos Cunha




Comentários
})(jQuery)