HomeJundiaíCultivo de mudas é projeto de capacitação do CAPS

Cultivo de mudas é projeto de capacitação do CAPS

Parte dos assistidos pelo Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS) Álcool e Drogas participam de projeto de cultivo de mudas de temperos e plantas aromáticas como terapia complementar e capacitação para geração de renda. A iniciativa, apesar de nova, surte resultados e já existem encomendas das plantas para o grupo. O trabalho teve início neste ano, em parceria com o Centro De Convivência, Cultura, Trabalho e Geração de Renda (CECCO).

Jurandir Reis da Silva, 42 anos, mora na Vila Esperança e faz acompanhamento no CAPSAd para tratar o vício com a bebida. “Cuidar das plantas é mais que uma terapia para mim. Venho aqui três vezes por semana. Planto, limpo, molho. Faço de tudo. É uma terapia muito boa. Consigo me ver trabalhando com isso”, conta o homem, que era ajudante de limpeza, mas acabou perdendo o emprego por conta do vício. “Tomava um litro de pinga por dia. Busquei o tratamento porque não me sinto bem quando bebo. Meus rins estão sofrendo”, detalha.

 

Valdevino de Souza Araújo, 61 anos, cresceu na lavoura, em cidades de Minas Gerais. “É muito prazeroso mexer com a terra. Estou há dias sem beber. Ocupa a mente e me deixa feliz. Essas mudinhas que cultivamos são vendidas com mensagens positivas nas embalagens. As empresas estão interessadas e compram para presentear os clientes no final do ano”, conta o atendido, que, pela experiência na roça, é responsável pelo plantio e preparo da terra.

Os caçulas do projeto, Itálo Augusto Souza, 18 anos, e Lucas Fenelon Marinho, 34 anos, começaram a participar do trabalho há poucos meses. Como conhecem informática, desenvolveram as frases positivas para colocar nas mudas para a venda. “São palavras de inspiração para as pessoas que recebem. Aprender coisas novas e ter contato com a terra ajuda no tratamento”, conta Lucas, que veio do Mato Grosso do Sul para Jundiaí em busca de trabalho, mas acabou perdendo o emprego por conta do vício em crack.

Incentivo
A psicóloga do CECCO Fernanda Torres Apollonio explica que o projeto contempla as diretrizes da Rede de Atenção Psicossocial para geração de emprego e renda dos assistidos. “A horta comunitária é desenvolvida no CECCO e é aberta à população. Os assistidos do CAPS recebem informações sobre como cuidar da terra, como produzir as mudas e esses conhecimentos podem ser usados para a geração de renda”, conta.

Segundo a terapeuta ocupacional do CAPS, Camila Covas Ribeiro, são cultivadas mudas de temperos e ervas aromáticas. “No próximo ano a intenção é criar uma oficina para a produção de óleos essenciais. Não basta apenas ensinar a plantar. É preciso capacitar para que consigam agregar valor ao que é produzido”, conta.

Segundo a psicóloga, o atendimento é aberto e há vagas para mais assistidos no CAPS na turma.




Comentários