HomeJundiaíJundiaí amplia horário de atendimento para Campanha “Fique Sabendo”

Jundiaí amplia horário de atendimento para Campanha “Fique Sabendo”

O Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) de Jundiaí ampliará o horário de atendimento, na semana entre os dias 27 de novembro e 1º de dezembro, para ofertar testes rápidos para detecção de HIV e Sífilis. Os exames gratuitos fazem parte da campanha estadual “Fique Sabendo”, que tem por objetivo o diagnóstico precoce para que as pessoas possam ter acesso o quanto antes ao tratamento.

Em Jundiaí, desde o início da epidemia de HIV/AIDS até 2016 foram notificados no SINAN (Sistema Nacional de Agravos e Notificação) e declarados no SIM (Sistema de Informações sobre Mortalidade) 2.150 casos de AIDS. De 2010 a junho de 2016 foram notificados 400 casos de AIDS (304 homens e 96 mulheres), o que representa uma média anual de 67 casos. Segundo Maria de Lurdes Munhoz, gerente do CTA, os números jundiaienses seguem a tendência brasileira. Ainda 21% dos casos novos da doença são diagnosticados tardiamente , e por isso, há a necessidade de ampliar as estratégias para o acesso facilitado ao teste de HIV e sífilis. “A mobilização de todos os segmentos da sociedade torna-se imprescindível para atingirmos um maior número de pessoas testadas. Quanto mais cedo se descobre a doença, mais fácil é o tratamento e melhor qualidade de vida”, argumenta.

Os exames estão disponíveis durante o ano todo na rede básica de saúde e no CTA, porém, nesta semana, por conta da proximidade com o Dia Mundial de Luta contra a aids (1º de dezembro) é a realização da 14ª edição da Campanha “Fique Sabendo” em Jundiaí, promovida pela Unidade de Gestão de Promoção da Saúde e Programa Municipal (UGPS) com as equipes do CTA, haverá oferta de testagem rápida para HIV e Sífilis em horário ampliado. Entre os dias 27 de novembro a 01 de dezembro (segunda a sexta-feira) o atendimento será das 7h às 18h, na rua Conde de Monsanto, 480, Vianelo, e tem por objetivo: testar pessoas sexualmente ativas, principalmente as que nunca realizaram o teste Anti-HIV e Sífilis na vida; acessar e sensibilizar as pessoas mais vulneráveis; acompanhar todos os casos positivos até que cheguem à Unidade de Referência para tratamento.

Em dados
De 1980 a junho de 2016, foram notificados no Brasil 842.710 casos de AIDS. O país tem registrado, anualmente, uma média de 41,1 mil casos de AIDS nos últimos cinco anos.

O número de casos de gestantes infectadas pelo HIV por ano do parto de 2010 a 2016 foi de 61. De 2010 a junho de 2015 foram notificados 5 casos de AIDS em menores de 5 anos e 49 casos na faixa etária entre 15 e 24 anos. Sendo que a maior concentração dos casos está em homens que fazem sexo com homens entre 20 e 39 anos. Foram registrados 108 óbitos no período de 2010 a 2015.

Já com a sífilis, falhas no atendimento durante o pré-natal, no diagnóstico e, mais recentemente, no abastecimento da penicilina, estão entre os fatores que explicam o aumento do número de casos notificados da sífilis em todo o País. A melhoria da vigilância epidemiológica nos últimos anos, com incremento de testagem e notificação da sífilis congênita e em gestantes, também pode estar contribuindo para esse crescimento.

No Brasil, de 2015 a junho de 2016, foram notificadas 48.628 gestantes com sífilis. Neste mesmo período foram notificados 28.436 casos de sífilis congênita em menores de um ano de idade. Em Jundiaí, houve o registro de 60 gestantes com Sífilis no período de 2015 a junho de 2016 e 23 casos da doença congênita em menores de um ano de idade.

Comentários