HomeArticulistasAnselmo BrombalAs capas da discórdia

Ao longo de 99 edições, algumas capas do Jundiaí Notícias acabaram se tornando polêmicas. O jornal começou a circular em novembro de 2014, logo após as eleições para presidente, governador, deputados e senadores. Durante a campanha política, a então presidente Dilma Roussef afirmou que não mexeria nos direitos já conquistados “nem que a vaca tossisse”.

Ao tomar posse de seu segundo mandato, em janeiro de 2015, Dilma fez exatamente o contrário – mexeu nos direitos. A capa do Jundiaí Notícias foi irônica: a foto de Dilma com a frase A Vaca Tossiu. “Teve duplo sentido, logicamente, mas deu o que falar. A capa foi parar em Brasília”, conta Anselmo Brombal.

Em julho de 2015 todos comentavam, discretamente, os problemas do Paulista FC, que antes havia lançado o Novo Paulista para tentar salvar o time. Era um assunto do tipo tabu, que ninguém ousava comentar publicamente. O Jundiaí Notícias entrevistou o diretor Luiz Raymundo, o Pitico, e escancarou o problema. O Paulista poderia fechar as portas.

O barulho provocado foi grande, e chegou-se a duvidar da veracidade da notícia, que foi confirmada com o vídeo da entrevista no Youtube e no site do jornal. Foi o Jundiaí Notícias que antecipou, também, o processo eleitoral em Jundiaí, antecipando um questionamento (Gustavo Martinelli, vereador, seria vice de quem?) e o possível lançamento da candidatura do empresário Ricardo Benassi.

A forma de reagir às notícias também é marca do JN. “Publicamos críticas e até ofensas a nós, afirma Márcio Medina. Um dia disseram que éramos um bando de retardados. Na edição seguinte estava lá, sem qualquer trauma ou reação irada. Quer falar? Fala”.




Comentários
})(jQuery)